e a certeza de que tenho coisas novas pra viver.

a gente acaba por não entender muito bem as circunstâncias que nos fazem crer no que cremos e perceber com mais atenção as coisas que damos nota. hoje lembrei da minha solidão como coisa humana e de minha fé rarefeita, do cheiro de julho que campina exalava em 2011, da dor do silêncio constante e da insegurança que a palavra futuro cobria meus olhos todo dia de manhã. ainda hoje, bem cedo, deitei minha cabeça no sol que nascia trêmulo pela janela do meu quarto, inundava de luz minhas retinas e aquecia as terminações nervosas de minha pele. pensei, nesse instante, como me viria há seis anos se tivesse, naquela época, o dom da premonição. certamente, acordaria atordoado e incrédulo da letargia da visão, renegando-me os atos que eu desenhei em mim nesse tempo, sem poder considerar que conhecer a si mesmo, muitas vezes, é um risco cruel. eu poderia pensar, me vendo como estou, que a vida é previsivelmente mutável, e que nem mesmo a confiança que temos de nossa inexorabilidade está livre desta condição. perderia um tempo enorme tentando me explicar porque admiti ser-me outro tão diferente, mas contentaria, no fim, com o que me foi herdado a cada dia. e, ainda que o sol que me acordou hoje, bem cedo, seja o mesmo do passado, perguntaria a mim, quando a fotografia dos instantes passou a ter outra tonalidade. em que momento preciso as sensações esmaeceram de tal modo que cheguei hoje eu ser daltônico da visão de mundo que tinha, recriando as cores velhas e buscando outras cores, estas mais raras, para que pudesse olhar o novo com mais vigor. tudo isso me pareceu próximo, coeso e necessário, tanto quanto necessário verbalizar-se – ou tentar – por poesia, e estender a compreensão à tangência da palavra. já não me caibo mais nas pretensões do passado, minha solidão parece me compreender, não existe tempo eminente fora de minha própria história e estar-sendo em função disso, parece ainda, a única alternativa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: