eu poeta

a poesia é tipo espécie
de ave-pássaro
de broto-planta
de caroço-gérmen
aflora como uma átona dentro de vibrações estéticas

o poeta sofre e sangra
toda vez que a poesia nasce
e perde e rouba
o poeta vibra e sangra
toda vez que o sentido alcança
a metáfora-mínima-múmia
o esqueleto e a contradança.

o poeta e a poesia são formas distintas de uma mesma analogia
de um mesmo esquecimento
de um mesmo estado
estando
estou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: