tudo isso digo enquanto espero sair daqui.

tão angustiante é ser peixe de aquário.
– disse o homem-peixe de cabeça de ar.
astronautas, viagens periféricas
mostram a subserviência popular da revolta.
tudo é peixe, feixe e desastres naturais.
a fuga para a terra prometida,
na estrada repetida do lobo frontal.

dentro do espaço semiaberto dos teus olhos azuis
a cor do meu sonho que se manifesta 
em oração.

esperava algo além do meu silêncio –
tudo é clichê, meu jovem poeta.
todas as pessoas sabem, não creem e mentem para si mesmas.

mesmo que o universo ao meu redor
seja apenas palpável à sombra da redoma de vidro,
não ousaria, eu, ultrapassar os limites da minha mente.
não querer pode não ser querer, poder, coisas afins e frias.

esvaziar-se do seu próprio vazio, é ganhar do mundo a plenitude do nada.
e isso basta.

nada mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: